RSS

Arquivo da tag: queijo

Cuide bem do seu… queijo minas!

Queijo Minas - início da cura

Queijo minas no início da cura

Na semana passada, ganhei um queijo minas padrão da minha madrinha. O modo artesanal de fazer esse queijo é Patrimônio Cultural Imaterial Nacional, protegido pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), como comentei no post anterior (Uma mesa mais brasileira).

O que pouca gente sabe (eu mesmo descobri tem alguns meses) é que pra tornar esse queijo ainda melhor é preciso curá-lo. Com o tempo seu sabor vai ficando mais rico e sua consistência mais macia.

Queijo Minas Padrão - 1 semana

Queijo minas depois de uma semana de cura

Mas é preciso uma paciência shaolin pra resistir durante pelo menos 15 dias para o seu queijo ficar no ponto.

Cuidados para curar o queijo minas:

  1. Tire-o da embalagem e lave-o em água corrente.
  2. Seque-o bem com papel toalha.
  3. Coloque o queijo sobre um prato e cubra-o com uma peneira fina ou um escorredor de arroz (para evitar que algum inseto enxerido pouse no seu queijo)
  4. Deixe-o descansar em um local arejado, fresco e à sombra (fresco não é gelado! não caia na tentação de guardá-lo na geladeira, se não seu queijo vai mofar)
  5. Todos os dias, seque o queijo com papel toalha (para retirar a umidade e a oleosidade) e vire-o, deixando a parte que estava em contato com o prato para cima. Assim, ele vai secar por igual.

Depois de 15 dias (se você resistir pode continuar o processo por mais tempo, de 20 a 30 dias é o ideal), seu queijo vai estar pronto! Para comer com doce de leite, doce de abóbora… ou fazer um delicioso pão de queijo!

Semana que vem, quando terminar a cura (ou minha paciência!) publico uma foto dele cortado.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/12/2011 em Habilidades

 

Tags: , , , , , ,

Vinagrete de tomate-cereja

Vinagrete de tomate cerejaEsta semana fiz esse vinagrete de tomate-cereja para acompanhar uma pescada grelhada com crosta de pão.

O vinagrete mais conhecido é aquele de churrasco: com tomate, cebola, salsinha e, às vezes, pimentão, picados. Esse é um vinagrete de origem mexicana: uma salsa.

O segredo do vinagrete é a proporção entre o azeite e o ácido (vinagre ou limão). O ideal é 1 parte de ácido, para 4 partes de azeite. Seguindo essa regra, o restante dos ingredientes só vão aromatizar o seu vinagrete, deixando-o com do jeito que você gosta. Experimente, por exemplo, fazer uma versão italiana da salsa com vinagre balsâmico, azeite, manjericão, tomate e cebola (picados). Sirva sobre uma fatia de pão italiano ou para acompanhar um filé.

Esta versão, de tomate-cereja, fica deliciosa com peixe, salada e até mesmo com pão. A cor desse molho, alaranjada e brilhante, é incrível.

  • 2 colheres (chá) de mostarda Dijon
  • 2 colheres (sopa) de vinagre de vinho branco
  • 65 ml de óleo vegetal (canola ou girassol)
  • 65 ml de azeite
  • 1 pitada de sal
  • 1 pitada de pimenta
  • 120 g de tomate-cereja
  • 1 pitada de açúcar
  • 1 dente de alho esmagado
  1. Em uma tigela, misture a mostarda, o vinagre, o sal e a pimenta.
  2. Batendo sempre com um fouet (batedor), incorpore o óleo e o azeite, primeiro em gotas, depois em fio.
  3. Coloque essa mistura no liquidificador com o restante dos ingredientes e bata até obter um purê liso.
  4. Corrija o sal. Se precisar ajuste a consistência com um pouco de água.
Seguindo os passos 1 e 2, você tem um vinagrete básico, que pode ser acrescido de outros ingredientes: laranja e alecrim; mel e gengibre; algum tipo de queijo; azeitona e tomate seco; pimentão etc.
 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/08/2011 em Molhos, Receitas

 

Tags: , , , , , , , , , , ,